segunda-feira, 20 de maio de 2019

Acordo entre Microsoft e Sony pegou o time de PlayStation de surpresa


Anunciada na última quinta-feira (16), a parceria que prevê que a Sony vai usar a estrutura do Azure, da Microsoft, para seus esforços de jogos por streaming e jogatina na nuvem pegou muita gente de surpresa — incluído funcionários da companhia. Segundo uma reportagem da Bloomberg, o acordo foi negociado sem o conhecimento de boa parte do time responsável pela divisão PlayStation.
A reportagem afirma que as negociações entre a Sony e a Microsoft começaram no final de 2018 e foram lideradas pelo gerenciamento sênior da empresa, baseado em Tóquio. “Os funcionários da divisão de game foram pegados de surpresa pela notícia. Gerentes tiveram que acalmar trabalhadores e garantir que os planos para o console de nova geração da companhia não foram afetados”, afirmam os repórteres Yuji Nakamura e Dina Bass.

Colaborando contra uma ameaça em comum
A parceria com a Microsoft foi anunciada em um momento no qual o PlayStation já possui uma infraestrutura de rede própria, que foi considerada insuficiente pelo comando da Sony.

Temerosa do crescimento de nomes como a Google, a companhia decidiu que o melhor a fazer era colaborar com sua antiga rival nos games. 

“A Sony se sente ameaçada por essa tendência e pela poderosa Google e decidiu deixar a construção de sua infraestrutura de rede para a Microsoft”, afirmou o estrategista Amir Anvarzadeh, da Asymmetric Advisors. “Por que eles dormiriam com o inimigo a não ser que eles se sintam ameaçados?”.

“A Sony se sente ameaçada por essa tendência e pela poderosa Google"

Com a decisão anunciada pelo CEO Kenichiro Yoshida, as ações da Sony aumentaram seu valor em 9,9% na última sexta-feira (17), um recorde para os últimos 18 meses. A companhia também anunciou uma recompra recorde de suas ações no mercado e foi elogiada por investidores que veem nela uma “nova companhia” capaz de se adaptar mais rapidamente a mudanças de mercado.


Game of Thrones: garrafas plásticas são flagradas em cenas do grande final


Tudo bem que o capítulo final — e as duas últimas temporadas — não foi exatamente o que muita gente esperava. Basta dar uma circulada pelas redes sociais e notícias em sites de entretenimento para medir a insatisfação. Para piorar, a temporada de encerramento também fica marcada com uns detalhes técnicos imperdoáveis para uma produção dessa grandeza.

Depois do copo da Starbucks esquecido em uma sequência em que o povo do Norte comemora a vitória contra o Exército dos Mortos, agora é a vez de garrafas plásticas, aparentemente de água, aparecerem em pleno cenário medieval. A primeira vez que isso acontece no capítulo final é aos 46:19 minutos. 

Fonte: HBO

Depois, acontece novamente. 

Fonte: HBO

Tudo bem que ambos os detalhes são quase imperceptíveis e é preciso ter olhos de águia para prestar atenção nisso durante toda a emoção do fim da trama. Mas, se já não bastassem as polêmicas envolvendo as gravações e o rumo que a história tomou, isso vem para ofuscar ainda mais o brilho de uma série que arrebanhou milhares de fãs em seus primeiros quatro anos.

A HBO chegou a brincar com o episódio do café, dizendo que “Daenerys havia pedido um chá de ervas” e removeu o copo digitalmente. Até agora, ainda não há declarações da companhia a respeito do deslize.

Fonte: THE VERGE

PF desarticula quadrilha brasileira que usava cartões clonados nos EUA


A Operação Las Vegas foi deflagrada pela Polícia Federal (PF) na manhã desta segunda-feira (20) que desarticulou uma quadrilha de clonagem de cartões de crédito. Segundo a PF, os carders utilizavam os cartões clonados de maneira sofisticada: o golpe tinha início no Brasil, mas as compras fraudulentaseram realizadas nos Estados Unidos, especificamente em Las Vegas e Atlantic City.

De acordo com a PF, foram cumpridos 12 mandados de prisão preventiva, 9 mandados de busca e apreensão e 14 mandados de bloqueio de contas e indisponibilidade de bens dos envolvidos — cumpridos em Fortaleza/CE, Caucaia/CE, Beberibe/CE e em São Paulo/SP. A Caixa Econômica Federal, sobre a ação criminosa, reportou um prejuízo de mais de 18 milhões de dólares de fraudes com cartões cometidas nos EUA, entre 2014 e 2018.


"Outras formas de fraudes cometidas no Brasil foram identificadas, como compras de aparelhos eletrônicos de alto valor"

O trabalho da Polícia Federal teve início após alerta do Escritório de Segurança Diplomática do Consulado Geral dos EUA no Recife/PE. A quadrilha, que residia no Ceará, realizava viagens para Las Vegas e Atlantic City após clonarem os cartões. Então, esses cartões eram utilizados para saque em máquinas GCA (Global Cash Acces) — em seguida descontavam esses cheques nas janelas dos caixas dos cassinos.

“Ao longo da investigação foram identificadas outras formas de fraudes cometidas no Brasil, como compras de aparelhos eletrônicos de alto valor e compras de viagens, reservas de hotéis, passagens aéreas, com os cartões clonados e ocultação/dissimulação do lucro ilicitamente obtido por meio de transferências para contas correntes de parentes e aporte de capital em empresas”, afirma a PF. Os investigados irão responder pelos crimes de furto qualificado pela fraude, associação criminosa e lavagem de dinheiro, de acordo com o nível de participação.

Na internet, quadrilhas e indivíduos que clonam cartões são conhecidos como carders. Há um verdadeiro trabalho que envolve até o desvio da segunda via de cartões. Você pode acompanhar tudo isso em detalhes na reportagem “Cartões de crédito são desviados nos Correios; contas de ecommerce são vendidas aos milhares no WhatsApp e Facebook”.

Fonte: Tecmundo

Westworld ganha teaser da 3ª temporada com retorno de importante personagem


A HBO divulgou, antes da exibição do episódio final de "Game of Thrones", o primeiro teaser promocional da 3ª temporada de "Westworld".

A série de ficção científica de grande sucesso junto ao público retorna com seu “novo mundo” apenas em 2020, mas o teaser trailer oferece uma prévia do personagem interpretado por Aaron Paul (de "Breaking Bad").

A surpresa do teaser fica pelo reencontro de uma figura conhecida dos fãs! Confira:
 Curiosamente, a HBO nomeou o teaser como “Westworld III”, sugerindo uma nova escrita para a 3ª temporada de Westworld.

Fonte: MINHA SÉRIE

Modo noturno do WhatsApp já aparece em telas de grupos e contatos


O modo noturno do WhatsApp está cada vez mais próximo de chegar à versão final do mensageiro. Na semana passada, nós mostramos que os tons escuros foram adicionados à tela inicial de conversas e também à barra superior do aplicativo.

Agora, o site WABetaInfo publicou imagens do modo noturno funcionando também na seleção de contatos e na página com mais informações sobre os contatos. A tela com informações sobre grupos também começou a ser atualizada, mas ainda apresenta alguns elementos com o fundo branco. 

Essa atualização do modo noturno foi encontrada na versão 2.19.145 do WhatsApp beta. Como sempre, ela ainda não está liberada para os usuários que utilizam a versão de testes do aplicativo. Também não há previsão para o lançamento oficial do modo noturno do WhatsApp, mas cada atualização indica que a novidade está mais próxima do que nunca.

Fonte: WABETAINFO

Smartphones da Huawei não devem receber Android Q


O último episódio de "Game of Thrones" não foi a única fonte de polêmicas a gerar fortes emoções na noite deste domingo (19): após um decreto assinado por Donald Trump na semana passada, a Google anunciou que a Huawei perderá acesso a diversas funcionalidades do Android.

Apesar de a notícia ter gerado pânico nos usuários da marca, a firma de Mountain View esclareceu que os donos de aparelhos da fabricante ainda receberão atualizações principais, mas não confirmou o suporte para o Android Q.

Em comunicado no Twitter do Android, a Google tranquilizou os consumidores da empresa chinesa e disse que seus principais serviços funcionarão normalmente em aparelhos Huawei que já estão no mercado, pois ainda terão updates de segurança.


For Huawei users' questions regarding our steps to comply w/ the recent US government actions: We assure you while we are complying with all US gov't requirements, services like Google Play & security from Google Play Protect will keep functioning on your existing Huawei device.

19,3 mil personas están hablando de esto


"Garantimos que, enquanto cumprimos todos os requisitos do governo dos EUA, serviços como o Google Play e a segurança do Google Play Protect continuarão funcionando em seu dispositivo Huawei", esclareceu a dona do sistema operacional.

Ontem (19), a Huawei também lançou um comunicado oficial confirmando a suspensão do programa Android, mas garantiu que seus aparelhos e da submarca Honor ainda receberão atualizações de segurança do OS.

"O update para o Android Q ainda não está garantido para os smartphones Huawei".

Apesar de os updates de segurança estarem garantidos, nenhuma das empresas mencionou que os smartphones da Huawei receberão atualizações para novas versões do sistema operacional da Google. Ou seja, se a situação continuar assim, possivelmente o Android Q não chegará aos aparelhos da fabricante asiática. 

O Huawei Mate 20 Pro tem suporte para o beta do Android Q, mas pode não receber a versão final do OS (Fonte: Gadgets Now/Reprodução)

 

Péssima hora


O decreto que proíbe empresas estadunidenses de fazerem negócio com a Huawei chega em uma péssima hora, já que a fabricante está investindo pesado em uma expansão mundial e recentemente até apresentou smartphones para o mercado brasileiro de forma oficial.

Como a Huawei é uma das principais empresas da China, a tendência é que o país asiático responda à decisão de Donald Trump, o que poderá intensificar a guerra comercial entre os dois países. Com esse cenário incerto, o negócio é esperar pelo desenrolar dessa novela.


Bug no Slack deixa hackers infectarem PCs com malware


A ferramenta corporativa Slack possui uma vulnerabilidade para a versão desktop Windows que pode ser explorada de maneira remota: a brecha permite que cibercriminosos alterem o local em que arquivos são baixados. Isso até pode parecer não tão grave, mas é possível redirecionar os arquivos para um servidor SMB (Server Message Block) separado e manipular o conteúdo dos documentos baixados — e isso é muito grave.

"Se você usa o Slack, cheque por atualizações: não deixe seu PC desprotegido"

Com a capacidade de alterar o conteúdo de documentos, cibercriminosos podem incluir malwares e roubar informações presentes tanto nos arquivos quanto no PC infectado. Quem descobriu a falha foi o pesquisador David Wells, da Tenable Research. Welles reportou o bug na plataforma HackerOne alertando que a brecha se encontrava na versão 3.3.7 do Slack para Windows.

Wells explica no relatório que a brecha permitiria que um invasor postasse um hiperlinkespecialmente criado em um canal do Slack que alterasse o caminho do local de download do documento quando clicado. As vítimas ainda poderiam abrir o documento baixado por meio do aplicativo, no entanto, isso seria feito a partir do compartilhamento SMB (Server Message Block) do invasor.

“O problema existe no gerenciador do protocolo "slack: //", que tem a capacidade de alterar configurações sensíveis no Slack Desktop Application. Esse caminho de download pode ser um compartilhamento SMB de propriedade do invasor, o que faria com que todos os documentos futuros baixados no Slack fossem enviados instantaneamente para o servidor do invasor. Depois de configurar um compartilhamento SMB remoto, poderíamos enviar aos usuários ou canais um link que redirecionaria todos os downloads para ele após clicarem no link".

O Slack possui mais de 10 milhões de usuários ativos e mais de 85 mil empresas usando sua versão paga. Por isso, é importante atualizar o aplicativo e garantir que ele esteja a última atualização instalada (v3.4.0), na qual o bug já foi corrigido.


Fonte: THREATPOST